Agenda Pepitas Secretaries Club 2018


blog-img-banner-28-fb49cc9472e96ee95b0ad1add4e2818e

 

E o ano definitivamente começou!

E pra começar eu pergunto: O que você tem feito para se aprimorar profissionalmente e expandir seu network?

Então vamos pegar nossa agenda e já começar a anotar os melhores programas/eventos/treinamentos para área secretarial em 2018?

E para dar o pontapé inicial divulgo a agenda preliminar dos eventos promovidos pela Pepitas Secretaries Club. Já fui em vários, e certamente vou participar de mais uns tantos este ano. Vamos?

Para obter mais informações sobre cada evento, acessem o link:

http://www.pepitassecretariesclub.com/agenda/

Slide1Slide2Slide3Slide4Slide5

Curso intensivo de Etiqueta Empresarial – Iventys


Olha o recadinho da Marcela Britoda Iventys! Imperdível!

“Bom dia, sexta!! Pessoal, o ano está começando e a vontade de aprender vem junto. Em 2018, a @iventysbrasilia traz o curso intensivo de etiqueta empresarial. É indicado para quem precisa aprender mais sobre comportamento e relacionamento no âmbito profissional. A novidade é que o curso será realizado em 4 módulos, de 15 em 15 dias, sempre à noite. Totalmente vlltado para profissionais! Ah, e para quem só começa a pensar em carreira depois do carnaval, o curso começará no dia 6/3.”

http://www.iventys.com.br/curso-de-etiqueta-empresarial/

 

26169202_422425104844038_4652309780295145744_n

Agenda de cursos Pepitas Secretaries Club – OS 4C´s DA MARCA PESSOAL DO SECRETARIADO EXECUTIVO


OS 4C´s DA MARCA PESSOAL DO SECRETARIADO EXECUTIVO

 

Curso: Os 4C´s da Marca Pessoal do Secretariado Executivo

Datas 

RJ: Sábado, dia 03 de Fevereiro de 2018

SP: Sábado, dia 24 de Fevereiro de 2018

OBJETIVOS:

  • Auto conhecimento: criando valor para a sua marca pessoal e destacando os seus diferenciais.
  • Gerando visibilidade: como gerar confiança, construir parcerias sinérgicas e ampliar o seu círculo de influência.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Quais serão os temas abordados no curso 4Cs?

– Os 4Cs da marca pessoal do secretariado executivo.

  • Confiança: autoconfiança, gerar confiança, solidez
  • Conectividade: cria sinergia, conecta pessoas, constrói relacionamentos, comunicação autêntica.
  • Competitividade: foco, execução eficaz, pro atividade e senso de propósito.
  • Criatividade: adaptabilidade, flexibilidade, abertura à mudanças, geração de soluções inovadoras.

– Definindo a sua marca pessoal e criando o seu plano de crescimento.

– Conexão com seu senso de propósito. Deixe o seu legado!

 

METODOLOGIA DE ENSINO:

O que você vai vivenciar durante o curso?

Teremos um espaço de aprendizagem experiencial, criativa e interativa, onde iremos promover diálogos apreciativos, dinâmicas de grupo, compartilhar apresentações expositivas, desafios, filmes, cases e criar estratégias de crescimento pessoal e profissional.

VALOR DA INSCRIÇÃO: R$ 685,00. 

 Neste valor estão incluídos Curso,  apostila, certificado e coffee break

Faça o downlod do Conteúdo e resume do facilitador do Curso: Programa 4 Cs Marca Pessoal Secretariado

Baixe a ficha de inscrição, preencha e envie para atendimento@pepitaconsultoria.com

PRESENTE DE ANO NOVO! 25% desconto para pagamento Pessoa Física, parcelado 4 x s/j Aproveite e faça já a sua inscrição! Vagas limitadas ! Central de inscrição c/ desconto: atendimento@pepitaconsultoria.com

http://www.pepitassecretariesclub.com/os-4cs-da-marca-pessoal-do-secretariado-executivo-2/

E a palavra de 2017 foi…


gratidao-detox-de-corpo-e-alma

 

Descobri que o por do sol em minha varanda me inspira…só eu chegar que já vêm várias inspirações por aqui…e a primeira foi pensar no ano que passou..e a segunda foi gratidão (sem hashtag hehe).

No início de 2017 foram incertezas financeiras e profissionais, surpresas e insegurança…

Lá pra o meio  bateu um desespero: apesar de o marido estar empregado novamente,  ficaria longe de novo e a vontade de ir embora bateu, acompanhar o marido nessa vida louca dele, deixar meu filho definitivamente crescer (eu tento, juro…), mudar de carreira…

Já em Agosto de 2017 : I FOCOS promovido e organizado pelo Comitê do qual faço parte: uma recompensa por tanto trabalho e com uma sinergia de uma equipe fora de série!

Em Setembro de 2017 chegou ao  fim  uma história que achei que duraria para sempre (calma, foi a SICPA e não o casamento…) e  ter que dizer até logo para um dos chefes mais queridos que já tive…não foi fácil… e então a vida me dá outro presente: meu trabalho atual e minha fantástica equipe, novos desafios e responsabilidades.. que estou amando cada dia mais.

Dezembro 2017 triste: a perda de uma pessoa que apesar de não tão próxima, mas especial, talentosa e lutadora e a quem eu admirava tanto… agradeço por tê-lo conhecido e ter a certeza de que ele está em um bom lugar…

Em 2017 pude receber tantos amigos e  familiares que só encheram minha nova casa de energia e bençãos…que venham mais visitas em 2018…

E que venham viagens…ah quantas viagens maravilhosas…Pepita (famtrips e FISEC), COINS, Tocantins, RJ, SP…. E entrarão em minha lista mais algumas em 2018, principalmente para encontrar as pessoas especiais…

E as pessoas que conheci? E as pessoas as quais me aproximei? E as pessoas que estão ao meu lado há anos? Sem um pingo de falsianismo…só presentes de Deus!

A saúde do meu filho, suas conquistas…a batalha diária do meu parceiro, amigo e anjo da guarda para nos dar uma vida melhor, mesmo distante…(não precisamos de mais nada, só você …pode voltar, por favor?)

Aos shows que fui, os livros que li, as músicas que dancei e ouvi, as fotos que fiz…

Metas? Sonhos? Nossa…fiz a lista já….mas não quero pedir….quero agradecer…

Espero poder compartilhar, contribuir, oferecer, servir, ajudar, ouvir, amparar, sorrir, indicar, amar, tanto do lado profissional como do lado pessoal…acredito ser a melhor forma de agradecer a tantos presentes recebidos!

Gratidão é a palavra de 2017…

Qual será a de 2018?

Feliz Ano Novo seguidores e amigos!

 

 

 

Artigo: Os perigos do ‘disse me disse’ no ambiente de trabalho


Enviado por Ângela Scórsin

fofoca-e1442196624144

Os perigos do ‘disse me disse’ no ambiente de trabalho

O que fazer para evitar boatos e qual o ônus legal que uma empresa pode sofrer quando não combate este hábito?

Ana Campos, Daniel Cristofi e Dhyego Pontes, Administradores.com, 11 de dezembro de 2017, às 13h25

Em uma pesquisa realizada pelo LinkedIn, com divulgação na TV Justiça, sobre o que mais incomodava profissionais brasileiros em suas rotinas de trabalho, foi constatado que o excesso de fofocas era o principal aborrecimento para mais de 80% dos entrevistados. Segundo especialistas em gestão pessoal, a fofoca pode afetar não só o clima organizacional, mas o próprio desempenho dos empregados, impactando, diretamente, no foco, concentração e inteligência emocional dos colaboradores de uma empresa.

Com tantos prejuízos, o que as organizações devem fazer para enfrentar a geração de boatos em seus espaços? E, do ponto de vista do direito trabalhista, que medidas podem ser tomadas por aqueles que se sentirem prejudicados por uma fofoca? Abordaremos estes temas ao longo deste artigo.

Uma empresa ou funcionário pode sofrer sanções trabalhistas em caso da ocorrência de fofocas no espaço laboral?

No geral, sim. Embora não seja um tema incontroverso, tribunais regionais do trabalho tendem a julgar como procedentes, processos de danos morais ou pedidos de indenização movidos em razão de fofocas no ambiente do trabalho. Já que é claro perante os entes fiscais e justiça do trabalho que é de responsabilidade do empregador a conduta de seus colaboradores com seus companheiros de trabalho.

É o caso, por exemplo, de processo de 2005 julgado 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, que condenou instituição financeira a pagar R$ 55.205, visando compensar dor de vítima que teve exposto o não cumprimento de metas de produtividade, segundo informações do ConJur. Ficou determinado ainda que a instituição deveria impedir que este comportamento se repetisse.

Outro caso, de 2017, julgado pelo TRT da 2ª região de São Paulo, acolheu o pedido de indenização por danos morais de um funcionário que teve fatos de sua vida expostos de modo vexatório por superiores. A desembargadora, Sônia Mascaro Nascimento, e os magistrados, condenaram a empresa a pagar R$ 10 mil em razão da ofensa.

O que torna procedente tais processos, consiste no fato de que, fofocas e boatos podem configurar dano moral e, neste sentido, serem passíveis de indenização, conforme explica o inciso X do Artigo 5º da Constituição Federal Brasileira:

“São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”

Para que um empregado possa mover uma ação por dano moral nestes casos, são imprescindíveis provas que demonstrem a incidência das fofocas o envolvendo, bem como, possíveis prejuízos causados pelos boatos. Tais provas podem ser de ordem testemunhal ou documental – e-mails, mensagens via aplicativos, conversas no Facebook ou até mesmo gravações, para que assim fique evidenciada a ocorrência, extensão e dano da conduta lesiva.

Qual postura adotar diante de um boato no ambiente de trabalho?

Profissionalismo é sempre a melhor postura a ser tomada por funcionários diante de uma fofoca. Isso envolve a discrição e, acima de tudo, não colaborar para que um boato se espalhe, uma vez que, além de prejudicar um colega de trabalho, o funcionário pode sofrer sanções tanto internas como legais, haja vista que medidas como advertências, suspensões e em última instância até a dispensa por justa causa podem ser tomadas pelo empregador com intuito de coibir práticas lesivas aos empregados e principalmente ao ambiente de trabalho.

Que medidas podem auxiliar o profissional a não ser vítima de fofocas?

Qualquer profissional também pode adotar algumas ações que minimizem as chances de que ele se torne vítima de boatos em uma empresa. Evitar a superexposição, tanto para colegas quanto em redes sociais (que hoje fazem parte do dia a dia organizacional) é um importante passo neste sentido. Outra ação útil recomendada por especialistas é manter-se neutro em discussões e evitar a formação de “panelinhas” que podem favorecer a difusão de boatos.

Por parte das empresas, políticas claras de combate as fofocas, adotando, inclusive, punições internas para funcionários que estimularem a prática, são instrumentos necessários tanto para dar mais segurança para uma organização em eventuais casos envolvendo a justiça trabalhista, quanto para evitar que seu ambiente interno e a produtividade de seus colaboradores sejam afetados em virtude do excesso de boatos. Além disso, deve ser facilitado o acesso de seus colaboradores a canais de denúncia, que não deve ser limitado e exclusivamente realizado perante ao superior hierárquico direto do empregado denunciante, já que muitas vezes o superior é o responsável pela prática e conduta lesiva.

É, por fim, papel dos gestores, contribuir para a inibição das fofocas. Afinal de contas, como vimos aqui, elas podem gerar prejuízos muito mais sérios do que, talvez, pudéssemos supor, na fila do café.

Ana Campos — Especialista em Aquisições e Reestruturações e sócia fundadora da empresa Grounds.

Daniel Cristofi — Especialista em Previdenciário e membro da Grounds, empresa de consultoria inteligente especializada nas áreas contábil, tributária, trabalhista, previdenciária e financeira.

Dhyego Pontes — Especialista em Direto Trabalhista e membro da Grounds, empresa de consultoria inteligente especializada nas áreas contábil, tributária, trabalhista, previdenciária e financeira.

Fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/os-perigos-do-disse-me-disse-no-ambiente-de-trabalho/122569/

Artigo: 10 regras sobre profissionalismo que você precisa saber


 

Enviado por Ângela Scórsin, colaboradora do blog.

 

profissionalismo-e-c389tica-no-trabalho-icm

10 regras sobre profissionalismo que você precisa saber

Para ter o melhor rendimento possível em um emprego, é importante que você saiba como agir de maneira profissional. Mesmo com algumas características desagradáveis, você precisa entender qual a forma mais adequada de fazer a sua experiência ser positiva para sua carreira.

Confira 10 regras sobre profissionalismo que você precisa saber:

 

1. Fique atento às normas da empresa e respeite-as
É essencial que você saiba qual é a cultura da empresa onde você trabalha e aja de acordo com elas. Dessa maneira, você consegue se encaixar ao ambiente do seu emprego com mais facilidade e demonstrar profissionalismo.

 

2. Seja agradável e educado com as pessoas
Mesmo que você não goste de alguns colegas de trabalho, é importante que você seja educado e agradável com eles para manter sua imagem profissional.

 

3. Leve o trabalho a sério
Quando você cometer um erro, tenha responsabilidade para assumir e então explicar o que não foi concluído corretamente. Lembre-se de que um bom profissional não tenta esconder e passar por cima do ocorrido.

 

4. Avise caso você sinta que não conseguirá cumprir os prazos
Sempre que você tiver problemas com algum projeto e sentir que não conseguirá concluí-lo a tempo, certifique-se de que todas as pessoas que trabalham com você estejam avisadas para que ninguém saia prejudicado.

 

5. Entenda que qualquer tipo de feedback não é pessoal
Ao receber um feedback, entenda que qualquer coisa que for dita se relaciona somente com seu trabalho e não com alguma característica pessoal sua. Por isso, não fique irritado caso receber comentários negativos. Apenas tente melhorar.

 

6. Escreva de maneira clara e profissional
Certifique-se de que seus textos são objetivos, profissionais e gramaticalmente corretos. Até mesmo um e-mail curto precisa estar dentro dos padrões para que você não pareça um trabalhador despreparado.

 

7. Seja flexível
Mesmo que você tenha um horário para sair do trabalho, é muito provável que você tenha que ficar no escritório por algumas horas extras. Não deixe que isso interfira no seu desempenho e seja flexível para se adaptar a esse tipo de mudança ou qualquer outra.

 

8. Mostre que você é uma pessoa confiável
Não invente desculpas para faltar no trabalho. A não ser que você esteja realmente doente ou tenha um problema muito importante para resolver, faça o máximo para comparecer sempre nos seus horários.

 

9. Ofereça ajuda e faça mais do que o mínimo que foi pedido
Ganhar reputação profissional depende muito de como você age com as outras pessoas. Por isso, sempre ofereça ajuda quando perceber que algum colega de trabalho está com dificuldades e procure realizar tarefas extras para mostrar seu bom desempenho.

 

10. Não trate seu chefe como um adversário
Mesmo que você tenha um chefe que não é agradável e que pareça não respeitar seu trabalho, não o encare com um inimigo. Faça suas tarefas da maneira correta e não deixe que nada interfira no seu bom desempenho.

 

Aprenda melhor a sua língua!


erros-de-portugues-simao-1397483352381_956x500

Olá pessoal,

Tenho recebido alguns insights (estrangeirismo ou itálico?) e logo preciso por no papel, afinal tenho que aproveitar esses momentos raros de vontade de escrever…(estão aumentando….)

Essa (ou esta?) semana decidi me empenhar nos estudos de línguas…cheguei a conclusão de que ando preguiçosa e só dependendo de quem me ensina, e decidi fazer a minha parte, pois algumas vezes reclamo que tenho medo de falar inglês, porque fico nervosa, que não falo francês porque parei há algum tempo, etc… (desculpa pouca é bobagem – tem vírgula?)

E também decidi correr atrás de um curso de gramática da Língua Portuguesa, por duas razões:

A primeira é que na área em que (ou na qual?) trabalho atualmente foi me atribuída a função de revisar todos os relatórios, e quem me conhece sabe que não gosto de fazer nada mais ou menos, e com o início dessa atividade fiquei várias vezes em dúvida quanto à correção gramatical (crase, vírgula, pronome demonstrativo, etc…)

A segunda é que quando conheci a Nayara Bermudez – secretária executiva do Itaú em Nova Iorque, fiquei impressionada com a perfeição que ela fala português. Mas ela é brasileira, qual é o espanto? Ora, o espanto é que ela trabalha nos EUA ha alguns anos, só fala inglês, e quando chega ao Brasil tem um português culto! E nós, profissionais, que falamos a língua- mãe todo o tempo e devemos usá-la com perfeição, não o fazemos… (atire a primeira pedra…)

Comecei a reparar no (ou em?) meu falar, e percebi que não falo o português como gostaria. Não digo aquele formalíssimo, mas pelo menos, o mais correto possível.

Não preciso dizer, que decidi buscar no You Tube alguns vídeos em português para me ajudar (e achei!!). Fiz o mesmo com o francês e inglês! Decidi não me acomodar e vou me empenhar para ganhar a medalhinha (de mim mesma!) como a auto-didata do ano (tem hífen?)

Por isso, o recado que quero deixar aqui é estude português, leia bons livros, pesquise quando não tiver certeza do que vai escrever, se aprimore sempre….como eu li esses dias no Facebook – não adianta falar inglês, francês, mandarim e escrever jente (escolhi essa palavra, pois recebi um comentário há muito tempo no site, que posto abaixo para vocês terem noção da importância da língua materna.)

IMG_6004

E por fim, deixo aqui a indicação de um livro e um canal do You Tube (Prof. Sidney Martins) que comecei a estudar hoje e já estou gostando bastante. Apesar de eu ter alguns livros de Gramática, gostaria de indicação de livros atuais e de fácil consulta.

(destaquei minhas dúvidas em itálico e negrito como brincadeirinha para enriquecer o texto, e para vocês verem como surgem tantas dúvidas ao escrever!)

 

1167255-350x360-77695